Depois de cinco meses: PASTOR É DETIDO POR MATAR ESPOSA À FACADA

0
299

O suposto pastor da Igreja Assembleia de Deus Pentecostal – Monte, Elias Paulo Neto Brandão, de 25 anos de idade, está detido por esfaquear até à morte a esposa de 59 anos, no passado dia 19 de Maio, no interior do Condomínio Vida Pacífica, em Viana.

 Engrácia Francisco

Após um trabalho árduo de investigação levado a cabo pelo Serviço de Investigação Criminal de Luanda, que durou cerca de cinco meses, foi possível deter, no passado dia 27 de Setembro, o suposto pastor de 25 anos, que confessou ter morto a cidadã Luzia Leonilde de Jesus Fernandes de Almeida, de 59 anos, com quem vivia há três meses. O motivo do assassinato deveu-se ao facto de o suposto pastor não tomar de bom grado o término da relação com a esposa, que o pôs para fora de casa por motivos de desconfianças e tentativas de extorsão.
Relatar que o crime ocorreu por volta das 15 horas, do dia 19 de Maio do corrente ano, no interior do apartamento nº 124, bloco 3, quarteirão 3, da Centralidade Vida Pacífica, Zango 0, onde o casal coabitava, quando o acusado, depois de partir a janela da dispensa, introduziu-se no interior do apartamento, onde esperou pela companheira que, minutos depois chegou a casa, deparou-se com o marido, e, após uma discussão, o mesmo desferiu golpes de faca de cozinha no pescoço da vítima que morreu em seguida.
Marido tenta burlar a mulher
Uma relação que a princípio não foi construída sob os pilares que invocam os mandamentos de Deus, Elias Brandão, de 25 anos e Luzia de Almeida, de 59 anos, se uniram em adultério, que terminou de forma trágica. Ou seja, a infeliz, conheceu o suposto pastor em monte de orações, algures no Benfica e, segundo conversações, a mesma acolheu em sua residência o jovem pastor e sua mulher de 21 anos, identificada apenas por Telma, na altura grávida, que, após o parto foi para junto da família para cuidados subsequentes, deixando apenas o pastor e a vítima na residência, que pós convivência, assumiram uma relação extra-conjugal.
Em sede de interrogatório, o suposto pastor confessou que tudo começou quando a mulher decidiu ter filhos e por a mesma não engravidar depois de várias tentativas, tiveram que recorrer a um outro pastor, que, por sinal, amigo do assassino, identificado por Messias Francisco Gala, que exigiu da vítima uma quantia monetária de um milhão de Kwanzas (1.000.000,00), ou a viatura da vítima de marca Hyundai i10 para dar início ao tratamento espiritual para que ela chegasse a engravidar. Por ser maior de idade e idônea, a mulher se apercebeu que tudo não passava de uma burla ou até mesmo tentativa de extorsão da parte do seu conjugue e seu comparsa, e rapidamente renunciou, o que veio a ruir a relação e fazer com que a vítima obrigasse o acusado a sair de casa, por não chegarem a um acordo.

O cenário do crime

Após tentativa de extorsão, que culminou com sua expulsão da residência, e insatisfeito com término da relação, o suspeito dirigiu-se ao apartamento em que vivia com a vítima e, surpreendido, encontrou a fechadura trocada, partiu o vidro da janela da dispensa e fez-se no interior. Poucos minutos depois, a vítima chega e o encontrou no apartamento, originando assim uma briga entre ambos e, na fereza da violência, o acusado apossou-se de uma faca de cozinha e desferiu dois golpes letais na região do pescoço da vítima, provocando morte imediata.
Depois de ter morto a esposa, o pastor confessou que manteve relações sexuais com o cadáver. “ Fui possuído por um espírito maligno que inclusive, comecei a cantar músicas mundanas enquanto fazia sexo com ela”, disse.
Feito o mal, lavou-se, trocou de roupa e limpou o chão da casa no sentido de se desfazer das provas criminais. Colocou o cadáver numa mala de viagem cor azul, depois de todo o sangue parar de escorrer, fitacolou e colocou no carrinho de compras para facilitar a saída pelo elevador do edifício. Continuando, dirigiu-se ao município de Cacuaco onde, por volta das 21 horas, contactou o cidadão conhecido apenas por Benjamin, motoqueiro, seu amigo por sinal, no sentido de o apoiar na busca dos seus pertences no apartamento em que vivia e que para o serviço de moto táxi lhe faria um pagamento de dez mil kwanzas.
E junto a uma paragem de táxi, desceu da motorizada com a mala, e sozinho prostrou o cadáver em um matagal nas imediações da empresa Cimangola, próximo à entrada do SIAC/Cacuaco e depositou a mala em um contentor de lixo.
Após todo o trabalho para se desfazer de quaisquer evidências que o incriminariam, o acusado, em sede de ganância, subtraiu da própria casa onde vivia com a malograda uma TV Plasma de 42 polegadas, um computador, um telemóvel, uma botija de gás butano, bem como, a venda da viatura de marca Hyundai I10, e outros pertences da vítima, e seguiu com a sua vida normalmente, como se nada tivesse acontecido, até que no dia 27 de Setembro deste ano decidiu ir ao Instituto de Saúde onde a vítima trabalhava como professora para falar com os colegas no sentido de localizarem o corpo da esposa. “ Não aguentei e fui falar com os colegas dela na escola só para que o corpo dela não ficasse aí jogado ou a polícia colocasse na câmara 5”, disse em interrogatório.
Portanto, depois de árdua investigação, desenvolvida por operacionais do SIC-Luanda, foi possivel a detenção do implicado no passado dia 27 de Setembro e, a recuperação da viatura e uma TV Plasma.
Realçar que as câmaras de segurança do bloco 3 do referido condomínio registaram por volta das 15 horas a presença do suposto pastor, também conhecido pela vizinhança como o filho da vítima, no apartamento no referido dia, e saindo por volta das 21 horas com uma mala no carrinho de compras, o que facilitou o trabalho do Serviço de Investigação Criminal, que culminou na detenção do mesmo.

Comentários do Facebook

Leave a reply