BENGO E OS RETROCESSOS DE UM CANDIDATO FALHADO

0
506

Em 2017, o clima estava tenso 

E o país estava a iniciar uma nova fase, que, para alguns, era tida como:

_ A Nova Era;

E para outros

_ A reforma na continuidade sendo incluído os velhos hábitos 

Quer uns quer outros tinham as suas justificações. A província do Bengo não fugiu a regra, o debate social ficou divido por estás correntes. O presidente João Lourenço tomou posse no dia 26 de Setembro de 2017, num mandato que terminará no dia 26 de Junho de 2022. 

Na tomada de posse, o presidente referiu: ‘’Angola é um país que se caracteriza por possuir uma população maioritariamente jovem. Esta realidade constitui uma base objectiva para a definição e implementação de políticas públicas que promovam o seu desenvolvimento humano e bem-estar, condição indispensável para se construir um país mais próspero’’ .

Desde a tomada de posse de Sua Excelência, bem como o seu discurso alguns tinham ganho novas esperanças (conforme disse no princípio), de ver a construir um país mais igual, justo e inclusivo sobretudo para os jovens, sendo que o país seria governado no primado da lei e da constituição. Volvidos 5 anos de mandato, a realidade tornou-se diametralmente oposta aos discursos, pois, a condição social e económica da juventude deteriorou-se significativamente de um lado pela crise aprofundada pela Covid-19, do outro lado pela falta de políticas públicas exequíveis viradas para uma boa parte da juventude. E os exemplos vão desde a falta de emprego, habitação, acesso ao ensino primário, secundário e superior até ao direito de reunião e manifestação pacífica (este último acontece apenas para apelar a sensibilidade do titular do governo a cumprir com o programa de governo anunciado durante a campanha eleitoral de 2017).

Todavia, o conjunto de iniciativas ocorridas no princípio serviu apenas para mediatizar os actos de combate à corrupção, combate à fome e à pobreza, resolução do problema da água e da energia, a construção de escolas e de universidades. Quando, na realidade, parte do programa do governo ficou aquém das espectativas eleitorais por não ter havido cumprido de muitos itens prometidos, sobretudo em relação aos 500 mil empregos que a juventude nunca tinha vislumbrado, a Califórnia que se tornou numa Somália, economia que não dinamizou o sector privado e fomentou desenvolvimento e a despartidarização que partidarizou novamente as instituições do estado protegendo novos corruptos e a nova elite oligarca. No essencial, o presidente anulou a política ou a esfera enquanto espaço de discussão de direitos e privilégios e construiu um verdadeiro autoritarismo.

O IMPACTO DA GOVERNAÇÃO PARA O BENGO

O balanço do seu mandato foi desastroso para a província do Bengo 

E tendo insistido cegamente na permanência de uma governadora que não comunica e nem se sensibiliza com a precariedade que a população local enferma.

Nenhuma política do governo central foi capaz de espulgar vicissitudes económicas, políticas e culturais na província do Bengo. 

A VINDA DO PR AO BENGO 

Atendendo as informações apuradas vindas de outras bocas 

O presidente estará aqui neste final de semana 

E atendendo as movimentações, lavagens de plantas que se encontram a berma da estrada, remendagens de asfalto e decoração de imóveis com a bandeira e o rosto do camarada, percebe-se claramente que sim, esta fonte está certa 

OS ACTIVSTAS CÍVICOS

atendendo a pouca vergonha que se registou nas demais províncias por onde o presidente esteve na qualidade de líder partidário 

Solicitamos ética e responsabilidade

Para que o mesmo não se registe por estas terras 

(como por exemplo; Embebedar sobas, obrigar professores, alunos e mais para fazerem número nas actividades). 

99.5% das promessas contidas no manifesto eleitoral 2017/2022, fracassaram em todas as línguas 

Dentre as promessas falhadas na província podemos destacar;

Asfaltagem da via Dande/Nambua-Ngongo No dia 17/4/2019

O ministro da Construção e Obras Públicas, Manuel Tavares de Almeida, assegurou que a empreitada da estrada Caxito-Muxaluando/Nambua tem, já, financiamento da linha de Eurobonds e pode ser concluída ainda este ano (2019), incluindo a reparação do troço que já se encontra degradado

Estamos no final do primeiro semestre de 2022 e até aqui nada se fala da obra e nem sobre o paradeiro do dinheiro investido (ver foto 1 e 2).• Construção do polo universitário X

No dia 22/7/2019, fomos informados que o polo universitário estaria pronto até 2020, infelizmente somente em 2022 deram por inaugurado, além de ser contrário daquilo que se publicitou, a obra não justifica o dinheiro investido e nem o tempo que durou

A obra foi erguida pela empresa Brick by Brick

Estes dados foram fornecidos pelo director do Gabinete de Estudos, Planeamento e Estatística do Ministério do Ensino Superior, Ciência, Tecnologia e Inovação, Faustino Miguel, que adiantou diante as câmaras e microfones da Angop

Orçado em 2.672.465.749,80 Kwanzas. 

RECOMENDAÇÕES

O Estado é uma pessoa de bem cujos fins e funções estão vinculadas a salvaguarda da segurança, legitimidade política, oportunidades económicas e o bem-estar social dos cidadãos. Somos peremptórios em afirmar que é responsabilidade do estado garantir o fornecimento de determinados bens e serviços à população. É desta visão que em nome da sociedade civil e da província do Bengo propomos o seguinte:

Para esta visita é necessário que conste da agenda conversas com os representantes dos partidos políticos para ter a verdadeira noção da degradação e precariedade de vida da população

Que não se finque unicamente nos relatórios apresentados pela governadora e administradores municipais. A estes não sairá nada excepto lavagem de imagem. É necessário ouvir outras entidades não ligadas ao aparelho do Estado em homenagem ao princípio do contraditório e demais princípios essenciais

Comentários do Facebook

Leave a reply