JOVEM PÕE FIM À PRÓPRIA VIDA APÓS SER VIOLADA POR MARGINAIS

0
449

Edna Mateus Videira, de 20 anos de idade, pôs termo à própria vida na noite de segunda-feira, 25 de Julho, por supostamente ser violada por um grupo de marginais.

Maiomona Paxe

O facto ocorreu na rua da encubação (SONEF), no distrito urbano do Kima Kieza, no município do Cazenga. Segundo relato dos familiares, tudo começou na noite de domingo, 24, quando Edna se ausentou de casa por volta das 21 horas para conviver com as amigas numa roulote na rua das Mangueiras, onde várias pessoas se deslocaram no introito de comemorar a vitória de uma equipa de futebol do bairro, que conquistara mais um campeonato local.

Como conta Marcelina Mateus, de 38 anos, tia da vítima, durante o convívio, Edna Mateus Videira foi interpelada por um jovem identificado apenas por “Puto A”, por sinal vizinho da malograda, que se encontrava a consumir bebida alcoólica em companhia de seus amigos. Ao negar conversar com o jovem, Edna foi surpreendida com um golpe de garrafa na cabeça, que acabou por desmaiar, sendo levada em seguida até a um beco pelo referido jovem e seus comparsas. “Minha sobrinha foi levada estando inconsciente e as amigas não fizeram nada por medo”, disse.

A vítima foi largada inconsciente no beco, tendo sido encontrada minutos depois pela mãe do acusado, que se apercebeu dos rumores da suposta violação por parte de seu filho e seus amigos e a levou até à sua casa, com pretexto de levá-la ao hospital ao amanhecer. “ A tia Maria (mãe do “Puto A”) deu banho à minha sobrinha e a trocou de roupa interior”, disse Marcelina Mateus, que acrescentou ainda que na manhã de segunda-feira, 25, recorreram à 15ª Esquadra para denunciar o ocorrido, porém, quando a Polícia chegou na residência do acusado, já todos haviam se retirado e não sabiam de concreto o paradeiro deles.

De acordo com a avó da infeliz, Branca Pedro Francisco, de 63 anos de idade, Edna regressou a casa por volta das 16 horas do mesmo dia, tendo sido questionada pela a anciã sobre o ocorrido. “Respondeu que não se lembrava de nada e só ouvira os vizinhos dizendo que foi violada por vários homens”, disse, para depois acrescentar que a neta apresentou um teste com resultado negativo para HIV/SIDA, proveniente do Hospital dos Cajueiros.

E por volta das 18 horas, Edna, se aproveitou da distração da família, dirigiu-se a um dos quartos da casa, onde a mesma nem costumava dormir, pegou num pano de cor amarela e enforcou-se. “Não contávamos com essa atitude”, lamentou Marcelina Mateus, que encontrou a sobrinha pendurada no teto da casa, após ter ouvido um barulho vindo do referido quarto.

A família alega que a vergonha terá sido um dos motivos que levou a jovem de 20 anos a cometer suicídio, porém não compreende tal decisão. Informações adicionais dão conta que o acusado já perseguia a infeliz faz algum tempo, e que o mesmo não tinha boa reputação no bairro. O mesmo pertence ao grupo “NCP”, e segundo familiares da malograda, “Puto A” se refugiou num dos grupos da zona da Mabor, denominado “os 50 Teimosos”.

“Queremos justiça, ela tirou a própria vida por causa dos jovens que a violaram”, afirmou Marcelina Mateus.

O corpo da infeliz foi removido do local da ocorrência pelo Serviço de Investigação Criminal do Cazenga e transportado para a morgue central de Luanda.

Edna Mateus Videira, trabalhadora, jovem de apenas 20 anos de idade, deixou uma filha de 1 ano e cinco meses, e foi a enterrar na quinta-feira, 28 de Julho, no Cemitério da Mulemba, sito no distrito urbano 11 de Novembro, município de Cacuaco.

Comentários do Facebook

Leave a reply