CIDADÃ É ALVEJADA MORTALMENTE POR SUPOSTOS MARGINAIS DURANTE PERSEGUIÇÃO

0
184

Uma cidadã de 49 anos de idade, que em vida atendia pelo nome de Regina Luísa Essenje, foi alvejada mortalmente no interior de uma viatura por dois supostos marginais, no dia 23 de Agosto, isto é, um dia antes das eleições.

Engrácia Francisco

Segundo uma fonte segura junto das autoridades, o crime ocorreu por volta das 18 horas, de terça-feira, 23 de Agosto, isto é, um dia antes da realização das eleições gerais em Angola. A vítima acompanhada pelo esposo, seguia na via pública, na zona da Funda, no interioer de uma viatura Land Cruiser, quando foram surpreendidos por dois indivíduos que seguiam numa motorizada e efectuaram vários disparos em sua direcção.
Um dos disparos atingiu mortalmente a cidadã Regina Luísa Essenje, que seguia no pendura da viatura, tendo em seguida os supostos marginais interpelarem o esposo que conduzia o veículo e o amarraram.
A seguir, como conta a fonte, um dos suspeitos tomou o controlo da viatura, enquanto outro seguia na motorizada, onde dirigiram cerca de 300 metros e abandonaram o casal. Em acto contínuo, os marginais seguiram com a viatura até à comuna de Caxito e abandonaram-na próximo à Barra do Dande, onde foi recuperada pelas autoridades locais. E de acordo com fontes do Serviço de Investigação Criminal, os supostos meliantes levaram consigo alguns pertencentes do casal, como telefones e valores monetários.
A notícia da morte da cidadã Regina Essenje, espalhou-se rapidamente pelas redes sociais, por ter sido associada com informações ligadas às eleições gerais de 24 de Agosto do corrente ano.
Contactado para mais informações, o esposo da malograda, preferiu não gravar entrevista, devido ao trauma que viveu no dia da ocorrência.
Vítima tida como funcionária da CNE
Regina Essenje, cuja imagem foi veiculada nas redes sociais como suposta funcionária da Comissão Nacional Eleitoral – CNE, que vazou informações sobre os resultados provisórios das eleições gerais de 24 de Agosto, que davam vantagem ao partido político UNITA, foi assassinada por marginais um dia antes das eleições, pese embora várias publicações noticiavam sua morte como se tivesse ocorrido um dia após o pleito eleitoral.
Em busca da veracidade dos factos, a equipa de reportagem do Jornal O Crime, deslocou-se até à Direcção Municipal da Educação de Cacuaco, onde foi informado que, na verdade, a vítima era Directora da Escola do Ensino Primário nº 4092, localizado no distrito urbano da Funda.
No entanto, as informações postas a circular nas redes sociais virtuais devem-se supostamente ao facto de que a instituição de ensino onde a malograda era Directora, ter sido uma assembleia de voto da CNE, que, segundo fontes, fora este pormenor, não há outro facto que ligue a vítima à Central da Comissão Nacional Eleitoral.
Em declarações, o porta-voz do Serviço de Investigação Criminal em Luanda, Fernando de Carvalho, afirmou que diligências estão em curso para identificação e consequente detenção dos criminosos.
Os funcionários da referida instituição de ensino, que não quiseram ser identificados, descreveram a Directora Regina Essenje, como uma pessoa carinhosa, simpática e participativa.

Nota de condolências

Numa nota de condolências, a Direcção do Complexo Escolar Carpe Diem manifestou com profunda dor e consternação o passamento físico de Regina Luísa, directora daquela instituição de ensino.
Nascida aos 25 de Fevereiro de 1973, Regina Luísa Essenje, era especialista em Geo-História pelo INE Garcia Neto, graduada em psicologia pelo ISCED, pós graduada em Supervisão Pedagógica e Formação de Formadores, pós-graduada em Relação Educativa e Organização Escolar e Mestre em Supervisão Pedagógica e Formação de Professores pelo Instituto Superior de Ciências Educativas de Odivelas (ISCE).

Share this:

Leave a reply