Detidos pelo SIC: ASSASSINOS DA MULHER DO RESPONSÁVEL DO MPLA NO BENGO

0
681

O SIC-Luanda já tem consigo os principais suspeitos da morte da mulher do segundo secretário provincial do MPLA, no Bengo, ocorrida durante um assalto à sua residência, em Junho do ano em curso.

 Liberato Furtado

Cristina Armando Kizala, 45 anos de idade, enfermeira do Hospital Américo Boavida, foi morta na sequência de um assalto à sua residência, no município de Belas, distrito do Benfica, bairro Benvindo, junto ao cemitério.

Com vista o esclarecimento do caso, o Serviço de Investigação Criminal (SIC) desencadeou um rol de acções de inteligência criminal, mormente no município de Cacuaco, distrito do Kikolo, que levou à detenção dos cidadãos Evaristo Pedro Chincando, também conhecido por “Vany”, solteiro, 22 anos de idade, residente na Centralidade do Sequele, António João Buenga de Sousa “Mantonas”, 31 anos, Gabriel José Pedro “Gabi”,  21 anos, residente no município de Cacuaco/ Kicolo, e Adolfo Katumbe Chuculia “Dodó”, 23 anos, residente em Cacuaco.

Os suspeitos foram encontrados em posse de um dos quatro telemóveis roubados na residência da vítima. Submetidos ao inquérito investigativo, alegaram que lhes foi entregue por um suposto amigo, conhecido apenas por “Bruno”, a fim de  arranjar cliente para que se procedesse à venda do referido aparelho.

Em função das informações de interesse investigativo, obtidas desses elementos, foram reordenadas e projectadas novas estratégias que permitiram chegar aos alegados autores materiais e confessos do crime, tratando-se dos suspeitos João Manuel Fernandes, mais conhecido por “João Lamba” ou “Paulo” , 26 anos de idade, coveiro de profissão, e João António Pique, também tratado por “L7” ou “R”, 31 anos, vendedor ambulante, residente em Cacuaco, bairro Boa Esperança.

O porta-voz do SIC em Luanda, superintendente-chefe, Fernando de Carvalho, confirmou a detenção de oito indivíduos suspeitos. “… está em causa a prática do crime de homicídio qualificado. Para lograr essa acção, os marginais, horas antes, roubaram uma viatura de marca Toyota, modelo Hiace, no território operacional de Viana, rumando, a posteriori, para o bairro Benfica, onde executaram este crime hediondo”, avançou. 

“Dizer ainda que das mãos dos marginais foram retirados dois telemóveis, uma arma de fogo do tipo AK-M com o cano serrado e uma viatura de marca Toyota, modelo Prado, de cor preta, roubada na residência da malograda”, resumiu aquele oficial do SIC, deixando também à vista a apreensão de uma das armas usadas na prática do crime, uma AK-M com o cano cortado com o n ° 3647.

Segundo a nossa fonte, na sequência das acções investigativas, depois da detenção dos primeiros suspeitos, procedeu-se à apreensão de mais um dos telemóveis de marca Samsung, cor preta, roubado também na residência da vítima, encontrado na posse de outros dois suspeitos, designadamente, Baptista Conda Panzo “Bati” e Ângelo Tchiungo Mateus “Ângelo”, ambos de 26 anos, residentes no Cazenga, bairro Mabor.

Do interrogatório investigativo a que foram submetidos, pontualizam as fontes,  os alegados marginais terão confessado o crime e atribuíram a responsabilidade do disparo que ceifou a vida da vítima a “Lúcio”, um dos quatro elementos integrantes do grupo que se encontram foragidos, contra os quais, segundo as nossas fontes, estão a ser adoptadas medidas oportunas para a detenção.

Suspeitos experientes em crimes hediondos

A despeito, as nossas fontes ainda nos adiantaram que é apontado ao aludido suspeito do tiro assassino a autoria da iniciativa do crime, fornecendo aos demais integrantes a informação de que na residência da vítima, a quem tratavam por “Doutora”, haviam valores em dinheiro.

De ressaltar que alguns desses suspeitos têm a ficha criminal manchada com outros crimes, incluindo homicídios, dos quais destacamos os de João Lamba, como é conhecido o suspeito João Manuel Fernando que, em sede de inquérito, confessou a autoria dos crimes:

Homicídio voluntário por espancamento, ocorrido no dia 14.03.2018, na via pública do bairro Boa Esperança, em que foi vítima o cidadão José António Congo, de 44 anos, segurança, caso afecto ao processo-crime n° 1174/18-CC; 

Homicídio voluntário, por disparos de arma de fogo, ocorrido no dia 08.05.2018, no interior de uma residência, bairro Boa Esperança, em que foi vítima o cidadão Vun Van An, 51 anos, comerciante de nacionalidade vietnamita, caso afecto ao processo-crime crime n° 2016/18-CC; 

Roubo concorrendo com ofensas corporais graves, por disparos de arma de fogo, ocorrido no dia 07.05.2018 no bairro Boa Esperança, em que foi lesado o cidadão José Celestino Matias, 45 anos, segurança, caso afecto ao processo-crime n° 2077/18-CC.

O marginal em causa, destaque-se, esteve na cadeia a cerca de três meses, antes da alegada participação nesse homicídio.

 

Comentários do Facebook

Leave a reply