MÉDICO DESAPARECE MISTERIOSAMENTE

0
393

Moisés Vitika, médico e licenciado em farmácia de 46 anos de idade, está desaparecido há mais de seis meses, segundo familiar próximo. O médico com residência em Luanda, na zona da Vila-Nova, no município de Viana, foi visto pela última vez em meados de Novembro último, altura em que se despedira da família com destino a província de Cabinda, onde foi colocado para exercer a função de médico.

O desaparecimento do médico Moisés Vitika, foi participado em Março do corrente ano, pelo seu primo, João Carlos Mukosi, de 52 anos , mecânico de profissão, que respondeu em seguida as várias perguntas feitas pelo “Jornal O Crime” afim de compreender o assunto.

Paulo Domingos

Jornal O Crime – Qual o grau de parentesco com o médico Moisés Vitika? João Carlos Mukosi – O Dr. Moisés Vitika é meu primo, filho do meu tio, irmão da minha mãe. Nasceu na província do Zaíre, comuna do Noqui, no dia 16 de Abril de 1976, formado em Medicina, com especialidade em farmácia.
Jornal O Crime – Quando o senhor teve o último contacto com o Dr. Moisés Vitika? J. C. Mukosi – Pessoalmente, nos vimos em Novembro do ano passado (2021), quando o mesmo convidou-me em sua residência na vila-nova, em Viana, e informou-me que foi colocado para trabalhar na província de Cabinda. Pelo telefone, falamos pela última vez no dia 04 de Dezembro de 2021.

Jornal O Crime – Durante a conversa mantida pelo telemóvel, o senhor não notou alguma coisa incomum ou estranha? J. C. Mukosi – Não! Conversamos normalmente, pese embora ter me informado que o seu telemóvel estava com problemas e que levaria a um técnico de seguida, e que consequentemente não falaríamos até que a avaria fosse solucionada.

Jornal O Crime – Teve algum contacto com a mulher e filhos do Dr. Moisés Vitika? J. C. Mukosi – Os filhos dele vivem comigo desde Março de 2022, quando a esposa do Doutor, “Dona Albertina”, os deixou em minha casa, afirmando que estava de malas feitas ao encontro do marido na província de Cabinda.

Jornal O Crime – Após a viagem da esposa do Dr. Moisés Vitika, houve uma tentativa de comunicação da parte deles afim de saber sobre a saúde dos filhos? J. C. Mukosi – Não! Desde março que a esposa dele os deixou em minha casa com destino a província de Cabinda, nunca mais tive informação deles; nem do Doutor e nem da esposa.

Jornal O Crime – Quais esforços foram feitos afim de saber o real paradeiro deles? J. C. Mukosi – Liguei várias vezes ao contactos deles, mas não chama. Fui para o ministério da saúde, entrei em contacto com a Polícia Nacional e a Polícia de Cabinda, inclusive contactei os hospitais de Cabinda, mas sem sucesso.

Jornal O Crime – Por quê razão contactou o Jornal O Crime? J. C. Mukosi – Contactei o vosso órgão para dar a conhecer o desaparecimento do meu primo, Dr. Moisés Vitika e sua esposa. E apelo a toda população em geral que se souberem de alguma informação sobre o paradeiro deles, por favor entrar em contacto com o “Jornal O Crime”, pois sei que através de vocês terei informação credível.

Share this:

Leave a reply