No Morro Bento: clientes do Banco Sol reclamam do mau atendimento e tráfico de influência

0
407

Os clientes do Banco Sol afectos à dependência localizada na Avenida 21 de Janeiro, no Morro Bento, em Luanda, reclamam do mau atendimento e maus-tratos por parte dos funcionários daquela instituição financeira que, além de lentos, porque levam mais de meia hora para atenderem alguém, destratam os clientes e violam as normais de atendimento impostas pelo próprio banco.

As normas do banco estão escritas numa vitrine daquela instituição, que, dentre outros, informa que há prioridades para idosos, grávidas e mulheres com crianças ao colo.

Segundo os clientes, no entanto, os próprios funcionários priorizam alguns amigos e conhecidos em detrimento dos demais clientes, que ficam horas e horas a aguardar para serem atendidos.

“Na segunda-feira, dia 21 de Agosto, estive naquela dependência, onde cumpri com todo regulamento esperando na fila mais de uma hora. Quando chegou a minha vez, uma funcionária em conexão com uma colega (ver foto) simplesmente deram prioridade ao cliente que acabava de chegar”, disse Mário Gonçalves.

Mário disse que, dada a situação,
reclamou, mas os funcionários ignoraram-no, atendendo outro cliente, que, por sinal, era estrangeiro. “Os funcionários em causa disseram com arrogância para eu ir me queixar onde quisesse, pois nada lhes iria acontecer”, denunciou .

“Pedi o livro de reclamação e apresentei a minha denúncia, que espero que seja atendida, uma vez que também deixei ficar o meu contacto telefónico”, acrescentou.

Por outro, João Gaspar, também cliente daquela agência, disse que por essas e outras pondera mesmo fechar a sua conta no Banco Sol. “Estou seriamente a pensar em encerrar a minha conta, pois não somos respeitados por aqueles funcionários, que não têm ética e deontologia profissional ao lidar com o público”, desabafou.

Carla Lourenço diz que também foi alvo do mesmo tratamento, pelo que apela ao Conselho de Administração e à Comissão Executiva do Banco Sol a tomar peito da situação. “Ainda não encerrei a conta, mas caso eu encerre, quem sairá a perder é o banco, devido ao funcionários que não sabem desempenhar o seu papel”, disse.

“No dia que fui destratada, pedi para falar com o gerente ou a gerente, mas me disseram que o mesmo ainda não tinha chegado e o relógio já marcava 9 horas”, frisou.

Banco Sol em queda livre

O Banco Sol, que já foi tido como dos melhores bancos do país nos últimos tempo, começa dar sinais de queda organizacional em todos os níveis.

Recentemente , por exemplo, tinha sido alvo de um ataque cibernético, depois de ter concluído uma alegada investigação.

Os clientes, ouvidos por este jornal, apelam ao Conselho de Administração do Banco a rever o pessoal da dependência da 21 de Janeiro. “Apelamos isso, porque aca postura daqueles funcionários nada dignificam o Banco Sol”, apelaram .

Comentários do Facebook

Leave a reply