DENÚNCIA PÚBLICA ENDE / GPL POLÍCIA SIC

0
1224

URGÊNCIA,
ASSALTOS TOMAM CONTA DAS RUAS DO LAR DO PATRIOTA EM CONSEQUÊNCIA DA FALTA DE ILUMINAÇÃO NOS POSTES PÚBLICO.

A sensivelmente 3 meses foram desligados os Postes de Iluminação Pública das ruas do Sector: E no Lar do Patriota, Referência: Rua direita do Condomínio Vale do Talatona e Colégio Fermas, sentido Talatona, as últimas ruas com postes que estão localizadas depois da Rotunda, estão totalmente as escuras, segundo relatos, devido a construção de um centro comercial junto a Escola do Tchuna que separa o Lar do Patriota do Bairro Honga descendo para o Dangeré – Dangerous,

Os candeeiros nos postes foram desligados, não se sabe ao certo por qual razão, entretanto, a situação é do conhecimento da ENDE que nada faz para repor a iluminação, alegando ser da responsabilidade do GPL.

Em consequência da escuridão absoluta, os assaltantes fizeram da zona palco de delinquência desenfreada pela facilidade que tenhem em escapar para o bairro Dangeré,

A falta de Policiamento na zona deu lugar a reincidência da prática, e pela escuridão absoluta, os assaltos agora estão acontecendo a luz do dia,

Incompreensível é o facto de muitas ruas no interior do Lar do Patriota, permanecerem com os candeeiros ligados até mesmo durante o dia, situação esta que evidencia grosseiramente a segregação.

A gravidade da situação se extende para os meios público que estão sendo vandalizados e roubados, tudo em consequência da escuridão absoluta e a gritante miserável condição de vida imposta aos mais pequeninos que também não estão poupando as tampas das sarjeta e valas de drenagem, arrancando para venderem aos pontos de peso de metal.

Os disparos e alarmes soam todas as noites em consequência dos assaltos na área, pelo que, se requer a intervenção urgente antes que se percam vidas inocentes.

Segundo moradores, os assaltantes ficam sentados a luz do dia a beber e fumar liamba na Ponta Negra e na Rua da Paula, local este de grande referência sob domínio das forças da ordem e segurança.
Carlos Abreu, leitor

Comentários do Facebook

Leave a reply