SIC DETÉM SUPOSTA RAINHA DA COCAÍNA EM ANGOLA

0
1502

O Serviço de Investigação Criminal (SIC), em Luanda, através da Direcção Central de Combate ao Narcotráfico e o Departamento de Investigação Criminal do Aeroporto Internacional 4 de Fevereiro detiveram, no passado dia 2 do mês corrente, uma cidadã nacional, de 40 anos de idade, tida como a mandante da droga em Angola, mormente cocaína, proveniente da República Federativa do Brasil.

“Bibicha”, como é apenas identificada a alegada “rainha da coca”, e o marido, um cidadão de nacionalidade nigeriana, de 42 anos, que se identificava com o nome em português de Gabriel, foram detidos em sua residência, no bairro Tala Hady, ao município do Cazenga, por agentes do SIC, no último dia 2 de Fevereiro, tendo já sidos presentes a um procurador que ordenou a manutenção de ambos sob custódia.

Na posse de “Gabriel”, foram também encontradas 74 gramas de estupefaciente, vulgo liamba.

A droga, segundo o SIC, era proveniente do Brasil e ara retirada interior das aeronaves com a colaboração de funcionários da empresa Ghassist, que também já se encontram detidos.

A detenção do casal, segundo o Serviço de Identificação Criminal, ocorre na sequência do processo-crime nº 3453/020-07, tendo resultado na identificação e detenção de oito (8) funcionários da empresa Ghassist, e de um outro indivíduo, que por meio de um esquema fraudulento e devidamente montado, facilitavam a saída da mercadoria (droga), do interior das aeronaves provenientes da cidade de Guarulhos, Estado de São Paulo, na República Federativa do Brasil, para o exterior do Aeroporto Internacional 4 de Fevereiro, em Luanda.

Segundo ainda o SIC, o referido casal tem vindo a ser citado de forma recorrente como aliciadores e receptores da droga, proveniente daquele país da américa latina, “bem como se constatou que “Bibicha” é tida nas lides do tráfico como sendo a mulher que mais droga introduziu em solo angolano e namibiano”.

Ademais, revelou o SIC, a mesma senhora é dona de uma extensa fola de serviços, sendo que há mais de seis anos que anda no radar das autoridades – destacando-se o envolvimento em dois processos-crimes, datados de 2014 e 2015, cujos tramites correm junto do Departamento de Investigação Criminal do Aeroporto Internacional 4 de Fevereiro, por tráfico internacional de droga, que culminou, na ocasião, com a detenção de mulas e a apreensão de grandes quantidades de droga.

Apesar de constar da lista de procurados das autoridades há muito mais tempo, mas só agora ser detida, Manuel Halaiwa, director do Gabinete de Comunicação Institucional e Imprensa do SIC disse que o trabalho das autoridades é investigar para depois prender. Pois, segundo o responsável, não se podia deter alguém que sobre a qual não se tinham provas suficientes para o efeito.

“O trabalho foi desencadeado de forma paciente, aturada, e hoje foi possível deter a cidadã e ser presente ao Ministério Público, que depois da a ouvir ordenou a sua manutenção sob custódia”, disse Manuel Halaiwa.

Desde 2014, no decurso de tal investigação, disse o director do GCII do SIC, já foram detidas mais de 50 pessoas. “Porque o tráfico de drogas é um crime bastante complexo, normalmente um denuncia o outro.

Na sequência desta operação, foram também devolvidas aos legítimos proprietários algumas viaturas roubadas, como são os casos de uma cidadã angolana, Ana da Cruz, cuja viatura de marca Hyundai, modelo Accent, havia sido roubada há dois anos, bem como de um cidadão de nacionalidade chinesa do qual a viatura de marca Toyota, modelo Land Cruizer, havia sido furtada do parque de estacionamento da empresa em que labuta, em Cabinda, e trazida para Luanda.

No final, os dois cidadãos regozijaram-se pelo trabalho do SIC e incentivaram a luta contra a criminalidade no país.

Comentários do Facebook

Leave a reply