No São Pedro da Barra: MENOR DE 12 ANOS É ABUSADA POR MARMANJO DE 24

0
544

Kénedy Tchito, solteiro de 24 anos de idade, é acusado de ter abusado sexualmente uma menor, de 12, no bairro São Pedro da Barra, município de Luanda, estando já sob custódia da justiça.

João Cabeto

O crime, segundo informações, ocorreu por volta das 16 horas do passado dia 26 de Novembro, quinta-feira, num momento em que a vítima, que responde pelo nome de Ângela Joaquim, de 12 anos, estudante da 5.ª classe, dirigia-se a uma cantina, próximo de casa.

Enquanto caminhava, contaram os seus familiares, antes mesmo de chegar à cantina, a menor foi interpelada pelo acusado, que prometeu comprar o que ela quisesse na cantina, caso aceitasse ir com ele. Sem suspeitar das intenções do moço, disseram, Ângela decidiu aceitar a oferta, e juntos seguiram até à cantina, onde Kenedy comprou um refrigerante e um pacote de bolachas para a atrair.

Seguidamente, contaram, seguiram até ao final da rua, tendo ambos entrado numa construção inacabada, onde, dizem, veio-se a consumar o coito. Ademais, lembraram, depois do acto, o jovem colocou-se em fuga, abandonou a vítima no local, ensanguentada e sem forças para se levantar e caminhar com os próprios pés.

Contaram ainda que a vítima apenas foi socorrida momentos mais tarde, por dois cidadãos que passavam pelo local e a ouviram chorar, tendo estes alertado os moradores do bairro, que, de imediato, a levaram a uma unidade hospitalar.

Tão logo recebeu a informação do abuso de que a filha fora vítima, Felícia Kalala Diabuana, a mãe, se deslocou, imediatamente, à unidade policial, onde participou o caso. Aliás, afirmou, é nessa mesma unidade onde o acusado, que lembrou ser um morador da zona, até ao momento, se encontra detido.

Todavia, disse que a filha já está recuperada, mas que, até agora, não consegue esquecer o que aconteceu e, apesar de estar a receber acompanhamento psicológico, a menina já não parece a mesma pessoa. “Nos últimos dias, ela tem estado muito solitária e triste, dói-me vê-la assim”, lamentou.

Já Pedro Joaquim, o pai da vítima, diz não encontrar explicações para tamanha crueldade, mais a mais, por ser praticado por um vizinho, pelo que clama por justiça. “É um conhecido aqui no bairro, não sei como teve essa coragem. A cadeia é o mínimo que ele merece”, diz Pedro, que aconselha os pais a terem mais atenção e evitarem mandar as crianças sozinhas.

Segundo os moradores daquela circunscrição, a criminalidade tem crescido de forma vertiginosa nos últimos anos, com destaque para os assaltos à mão armada, lutas de gangues e violações sexuais.

Francisco Samba, morador do bairro São Pedro da Barra, há mais de 8 anos, diz que o patrulhamento não se faz sentir, motivo que leva muitos meliantes a praticarem as suas malícias a qualquer hora do dia. “Aqui os bandidos fazem e desfazem, quando bem lhes convier. Precisamos de, pelo menos, uma esquadra móvel aqui perto”, suplicou Francisco.

Share this:

Leave a reply