SUBIDA DO LITRO DE GASOLINA: taxistas e motoxistas não serão abrangidos

0
279

A partir do dia dois de Junho, os cidadãos vão passar a pagar 300 kwanzas para aquisição do litro de gasolina, com o corte dos subsídios por parte do Estado. Apesar da medida, os taxistas e motoxistas vão continuar a pagar 160 kwanzas por litro.

Leal Mundunde

Depois das informações que têm estado a circular, relativamente a subida dos preços dos combustíveis no país, o executivo confirmou esta quinta-feira, dia 1 de Junho, a subida do litro da gasolina.

Relativamente a suposta interferência externa na decisão do executivo, a ministra das Finanças Vera Daves desmentiu, alegando que Angola é um Estado soberano.

Por outro lado, justificou a inexistência de ingerênciaexterna na decisão tomada, alegadamente pelo facto de ter terminado o programa com o Fundo Monetário Internacional (FMI) e o Estado almeja prosseguir com as reformas em curso para a melhoria do país.

A medida não abrange os taxistas, motoxistas, bem como as embarcações de pescas, que vão continuar a pagar 160 kwanzas.

O ministro dos Transportes, Ricardo Viegas de Abreuavançou que o Estado vai subsidiar o custo da gasolina para esta classe, sendo que, terão acesso a um cartão de abastecimento diário para cobrir a diferença do aumento do preço do combustível.

O cartão personalizado é válido em todas as bombas de combustível, com a identificação do proprietário do veículo ou embarcação e entregue aquém tenha os seus meios licenciados, conforme fez saber Ricardo Viegas de Abreu.    

O ministro esclareceu que todos os taxistas, mototaxistas e responsáveis de embarcações que ainda não estejam licenciados, não terão este benefício.

Outro sim, a ministra das Finanças, referiu que o executivo decidiu não alterar o preço do gasóleo, pois, acredita que o impacto sobre o preço dos produtos alimentares da cesta básica no mercado seria maior.

Sobre a possibilidade de existir especulação de preços no mercado, em função do acréscimo da tarifa da gasolina, Vera Daves acredita que possa ocorrer e garante que o  executivo vai manter o dialogo permanente com associações, produtores e distribuidores para que não possa suceder.

Por outro lado, foi anunciado que para travar a especulação de preços, conta-se com o apoio da ANIESA, Ministério da Industria e Comércio, bem como, outras instituições públicas e da sociedade civil.

Durante a Conferência de Imprensa que decorreu no dia 1 de Junho,em Luanda, a titular da pasta das finanças, disse não ser um momento para aproveitamentos e pede unidade por parte da sociedade tendo em conta aos efeitos positivos que a media trará para o país.

Em caso de existir especulação, os membros do executivo presentes na Conferência de Imprensa, prometeramresponsabilidade aquém tenha tal atitude.

Comentários do Facebook

Leave a reply