CAÇADORES FURTIVOS DETIDOS COM MAIS DE UMA TONELADA DE CARNE

0
84

Dois Caçadores Furtivos foram flagrados com montes de carne seca, que advieram do abate indiscriminado de vários animais que integravam as várias populações da fauna do Parque de Conservação Luengue  e Luyana,  sito no município de Mavinga na Província do Cuando Cubango.

Caculo Gaspar, correspondente no Cuando Cubango

Nos restos de animais é possível verem-se cabeças de Búfalos, Hienas, Cães Selvagens, Cabras do Mato e até mesmo Elefantes adultos e juvenis. Alguns dos animais abatidos eram secados inteiros, provavelmente, para serem vendidos como troféus. No total, a carne pesou mais de uma tonelada.

Os caçadores, que residem em Menongue, mantinham trabalhadores que os ajudavam a reduzir as manadas de animais, numa actuação que matava tudo e todos, desde crias, fêmeas prenhas, até espécies em  extinção, e que fazem parte dos 7 Grades Mamíferos.

A operação conjunta, Fiscais Ambientais e Polícia de Mavinga, permitiu a apreensão de várias armadilhas, ratoeiras, e outros materiais que eram usados nesta acção de neutralizar os animais desta zona de conservação.

Além dos crimes de Agressão ao Ambiente, os detidos vão também responder por posse ilegal de arma de fogo, porque com eles foram encontradas duas armas, uma do tipo AKM e outra PKM e munições de diversos calibres.

Segundo o Director do Gabinete  Provincial Ambiente, Resíduos Sólidos e  Serviços Comunitários do Cuando Cubango, esta é a quarta vez que os Fiscais Ambientais e a Polícia, do Cuando Cubango, flagram e apreendem Caçadores Furtivos com vários amontoados de carne seca, um indicador que demonstra que ainda há muitas acções que visam prejudicar a fauna e a flora nos parques de Mavinga e Luengue Luyana . Júlio Bravo ressaltou que, além do Abate Indiscriminado de Animais, a outra preocupação do seu pelouro prende-se com a exploração ilegal de madeira dentro dessas duas Reservas Ambientais.

Os Parques de Conservação Mavinga e Luengue Luyana ocupam, juntos, uma área de mais de 90 mil Km² que são patrulhados por 125 Fiscais Ambientais, que são auxiliados nesta tarefa de preservar a fauna e a flora deste vasto território, pelos efectivos da Polícia de Guarda Fronteiras. Aumentar o efectivo e a criação de infra-estruturas que possam facilitar a acomodação dos Fiscais são alguns dos Desafios da Direcção liderada por Júlio Bravo.

No dia 13 de Março deste ano, o Ministro de Estado e Chefe da Casa Militar do Presidente da República, em companhia da Ministra do Ambiente entregaram à Administração do Cuando Cubango, seis viaturas de Marca Toyota Land Cruser V8 e 4X4, e meios de comunicação que estão a tornar as operações dos Fiscais mais eficazes e abrangentes. 

Em breve, os acusados vão ser transferidos de Mavinga para Menongue onde serão apresentados ao Ministério Público para a competente instrução do processo e legalização da prisão preventiva.

Parques do Cuando Cubango cada vez mais reduzidos do ponto de vista da vida animal, um facto que vai reduzir as potencialidades para atracção turística.

Comentários do Facebook

Leave a reply