MENOR DE DEZ ANOS DE IDADE MORRE ASFIXIADO POR MARGINAIS

0
677

Betinho José Bumba, de dez anos, perdeu a vida depois de ser, alegadamente, sodomizado e ser-lhe introduzido uma faca no ânus. Segundo a mãe do menor, os seus algozes, até ao momento desconhecidos, terão estrangulado o corpo do rapaz e depois jogado numa obra inacabada. O crime ocorreu no bairro Tio Diogo, no distrito da Baia, em Viana.

Por: Engrácia Francisco

Teresa Francisco conta que, no dia 28 do mês passado, por volta das 16 horas, seu filho e outros amigos, também menores, haviam ido ao mercado do quilómetro 30 e, de lá, o rapaz nunca mais voltou. Inicialmente, ela pensou que o filho havia ficado em casa do tio, como de resto confirmaram os outros meninos com quem Betinho tinha saído.

De facto, Betinho chegou mesmo a ir à casa do tio, no bairro da Baia, todavia, de regresso à casa, por volta das 19 horas, e sem que o tio se apercebesse da sua partida, o rapaz terá sido interpelado, ao longo da caminhada, por supostos marginais que, segundo a mãe, o sodomizaram e depois usaram uma faca para rasgar o seu ânus, antes de o asfixiarem até a morte.

De acordo ainda com Teresa, o corpo do petiz apenas foi descoberto no dia seguinte, 29, nas primeiras horas. Por volta das 6 horas, segura de que o seu menino estaria em casa do tio, sai para ir ao mercado e, de volta à casa, às 8 horas, fora informada, por duas vizinhas, que o corpo do seu filho tinha sido avistado numa obra quase que abandonada, completamente estrangulado.

Posta no local, “encontro o rapaz desfigurado”, como lhe haviam informado por aquelas duas vizinhas. “Encontrei-o nu, com o pescoço partido, amarrado com a própria camisola ao pescoço, parecia um criminoso”, lamentou, descrevendo, depois, que tinha as pernas abertas e o calção que usava fora encontrado ao lado, coberto de fezes.

A primeira impressão, segundo Teresa, é de que o pequeno havia sido sodomizado e, de seguida, asfixiado e estrangulado até à morte. O cenário, descreve, deixou aterrorizado os moradores da zona como nunca tinha acontecido antes. “É a primeira vez que presenciamos caso do género aqui”, exclamou.

Autópsia confirma como causa da morte o objecto introduzido no ânus do menor

Depois de removido o cadáver do menor, por agentes do SIC, e recolhidos todos os elementos de prova possível, o relatório da autópsia conclui que a causa da morte terá sido o objecto introduzido ao ânus da vítima. Além do mais, no parecer do médico legista, está descartada a possibilidade de o menor ter sido abusado sexualmente, como inicialmente afirmou a mãe.

Outro dado a reter é que não foi encontrado o referido objecto, alegadamente introduzido ao ânus da vítima. O funeral aconteceu no passado dia 2 do mês em curso, no cemitério municipal de Viana.

Visivelmente magoada e sem compreender, até ao momento, o que estará na base da morte do seu filho, Teresa Francisco pede, agora, que se faça justiça.

Pese embora ser a primeira vez que se depara com um crime desta magnitude, a sofrida mãe fez saber, por outro lado, que é recorrente ouvir-se relatos de crimes de assaltos à mão armada, ofensas corporais graves, sobretudo no “Matadouro”, uma povoação adjacente ao mercado do KM 30, no município de Viana.

Segundo as autoridades locais, o caso já está a ser investigado, a fim de se identificar e responsabilizar os responsáveis deste bárbaro crime. Ademais, segundo a família, ainda não foi formalizado um processo-crime, mas garantem que os agentes do Serviço de Investigação Criminal (SIC-Luanda) têm trabalhado, arduamente, junto da família, a fim de se esclarecer.

Comentários do Facebook

Leave a reply