JOVEM PÕE FIM À PRÓPRIA VIDA POR CONTA DE UMA DÍVIDA

0
974

Tchitove Fernando Tchombe, moto-taxista de 23 anos, pôs termo à própria vida na madrugada de segunda-feira, 17 de Maio, por conta de uma suposta dívida que havia contraído ao seu antigo patrão.

Maiomona Paxe

O facto ocorreu na zona do Kapapinha, bairro Zango 3, no município de Viana, quando os seus familiares notaram a ausência do mesmo no quarto onde dormia, como contou o seu irmão mais velho, Benjamim Domingos Kayenguele.

Na segunda-feira, 17, Benjamim disse ter despertado por volta das 3 da manhã para fazer necessidades, quando se apercebeu de que o irmão mais novo não estava no quarto. Ao sair para o quintal, constatou o insólito. Viu o seu irmão pendurado com uma corda no pescoço numa árvore. “Fiquei surpreso e assustado, não sabia o que fazer!”, exclamou.

Visivelmente atónito por altura desta entrevista, lembrou que no dia anterior, domingo, o irmão não parecia estar a passar por problemas, e, como de costume, tinha saído para trabalhar.

O que era para ser uma noite tranquila, acabou por se tornar aterrorizante. Ainda de acordo com alguns familiares, a acção do infeliz parecia ter sido premeditada, uma vez, sequer teria jantado na noite de domingo e teria ido à cama mais cedo do que o normal, algo que não era de costume, mas que passou por despercebido.

De acordo com o amigo do malogrado, Carlos Faustino Tchicongo, de 24 anos, o motivo que terá levado Tchitove Fernando Tchombe a pôr fim à sua própria vida, terá sido, supostamente, uma dívida contraída no ano de 2020 ao seu antigo patrão e que até então não tinha sido paga e o mesmo vinha recebendo ameaças constantes daquele. 

O valor da dívida contraída pelo malogrado não se sabe ao certo, pois os seus familiares desconhecem a existência da mesma, mas que revelam que o malogrado trabalhava sem parar e não sabiam onde o dinheiro era aplicado, uma vez que o mesmo não tinha mulher nem filhos.

Sem motorizada própria, como conta o seu amigo, Tchitove Fernando Tchombe recebia “falida” de seu irmão e amigos para puder liquidar a dívida, facto que não se consumou, pois, o mesmo decidiu pôr fim à sua própria vida por conta desta suposta obrigação. “Não sei como ele contraiu esta dívida, mas trabalhava dia e noite para pagar e lamento o facto de ele tirar a sua vida por conta disso”, lamentou Carlos Faustino Tchicongo.

Contactado para mais esclarecimentos sobre o comportamento adoptado pelo malogrado, diante desta situação, Mário Sakossengue, sociólogo, afirma que o desespero e a angústia, concorrida pelas alegadas ameaças que o mesmo vinha recebendo, terão sido os grandes motivadores do suicídio do jovem de 23 anos, pelo que aconselha sempre ao diálogo perante situações parecidas.

O corpo do malogrado foi removido do local da ocorrência pelo Serviço de Investigação Criminal de Viana e transportado para a Morgue Central de Luanda.

Tchitove Fernando Tchombe, proveniente da província da Huíla, há cerca de um ano, trabalhava como moto-taxista na paragem do zango 3, em Viana. O mesmo foi a enterrar na sexta-feira, 21 de Maio, no cemitério da Sanzala, município de Viana.

Share this:

Leave a reply