LUTA ENTRE QUADRILHAS TERMINA

0
813

EM MORTE DE ADOLESCENTEPor: Virgílio Zacarias Daniel, 17 anos, perdeu a vida depois de ter sofrido vários cortes de faca e lâmina, nas coxas, pulsos e no pé, durante uma rixa entre gangues rivais, a 30 de Setembro passado, no bairro da Fubu, município de Talatona, em Luanda.

Por: Engrácia Francisco

A vítima, vulgarmente conhecida por “Faray”, era membro dos “ATDG”, uma quadrilha que actua na zona. À data do incidente, segundo relatos de Francisco Eliseu, outro adolescente com quem a vítima esteve no momento da luta, estavam a caminho da rua do Saba Quimuâni, algures no mesmo bairro, a fim de convidar algumas meninas para participarem de uma festa que eles realizariam no domingo.

Durante o percurso, explicou, depararam-se com dois outros integrantes de uma quadrilha rival, apenas identificados pelas alcunhas “Faz Tiro” e “Dino Mene”, e “Os Irasabas”, com quem ficaram a conversar por alguns minutos. Entretanto, fez saber o jovem, o diálogo não foi muito amistoso, e, entre trocas de acusações, gerou-se desentendimento que evoluiu para uma briga feia entre as duas quadrilhas.

Da rixa, Virgílio Daniel, ou simplesmente “Faray”, foi o que mais sofreu, pois desferiram-lhe vários golpes com faca, lâminas e cacos de garrafas. O jovem ainda chegou a ser socorrido ao Hospital Municipal da Samba, localizado nas imediações, mas acabou por falecer, em função das graves lesões causadas pelos ferimentos.

‘O CRIME’ soube que a família do malogrado suspeita que o pai de um dos implicados na morte do adolescente seja um afectivo da Polícia,  que deslocou-se até à unidade policial da Fubu e prontificou-se em entregar-lhes o valor de AKZ 100.000,00 (cem mil kwanzas), para apoiar nas despesas do óbito. No entanto, tal pretensão não foi bem recebida pelos entes do malogrado.

Virgílio Zacarias Daniel, a vítima, e Francisco Eliseu, agora em parte incerta, eram integrantes do grupo de marginais denominado “ATDG”, criado desde 2016, que conta com mais de 15 membros, cujas idades vão desde os 15 a 20 anos. Já “Faz Tiro” e “Dino Mene” pertencem ao grupo “Os Irasabas”, dois dos muitos grupos de marginais que actuam no município do Talatona, em Luanda, cujos membros têm várias passagens pela Polícia.

O caso já é do conhecimento da Polícia local, que instaurou um processo-crime sob o número 7515/020, estando a ser investigado.

Comentários do Facebook

Leave a reply