POR POLUIÇÃO SONORA: Autoridades anunciam encerramento de quatro casas nocturnas

0
191

O Coordenador da Comissão Municipal de Controlo de Eventos e Poluição Sonora de Luanda, Cláudio Revela, anunciou o encerramento de quatro casas nocturnas, por reincidência em poluição sonora. Populares aplaudem iniciativa e denunciam praticas de prostituição e venda  de drogas, em vários estabelecimentos.

Leal Mundunde

Em função das denúncias que chegam a administração municipal de Luanda, foi desenvolvido trabalho de campo nos últimos dias, que permitiu conhecer a realidade de várias casas nocturnas, que não reúnem condições para exercerem as suas funções.

Durante actividade,  para além de membros da administração municipal de Luanda, participaram agentes da Polícia Nacional, as direcções  da Juventude e Desporto, bem como da Cultura.

Ainda no âmbito da poluição sonora, recentemente o Governo Provincial de Luanda, proibiu a realização de eventos culturais e recreativos, bailes, festas e actividades religiosas em zonas residenciais, locais públicos e abertos.

Segundo o Coordenador da Comissão Municipal de Controlo de Eventos e Poluição Sonora do município de Luanda, são no total quatro espaços que constam do programa para o devido encerramento.

Sem determinar uma data, Cláudio Revela explicou que a comissão em questão, está a trabalhar no sentido de começar a emitir as notificações para o encerramento, devido a sua reincidência no que concerne a poluição sonora nos locais em que estão inseridos.

Uma das casas nocturnas que a qualquer momento poderá ser encerrada, é o Bar FM, localizada no distrito urbano da Maianga e o Bar do Colosso, que de acordo informações nestes estabelecimentos, a poluição sonora tem sido recorrente.

Cláudio Revela reafirmou que, é foco da comissão que lidera, mitigar o fenómeno de poluição sonora que assola o município de Luanda.

Alguns cidadãos aplaudem a iniciativa de encerrar casas nocturnas que prossigam com tais praticas, tendo em conta aos vários constrangimentos que têm causado na vizinhança, ao ponto de trazer problemas de saúde.

João Manuel, residente no  Bita Progresso, afirma que no seu bairro há um espaço, onde os proprietários põem música até “altas horas da noite”, dificultando os vizinhos de apanharem sono.

Em algumas casas nocturnas, para além da música alta, também tem sido local propício para práticas de prostituição. “ Até adolescentes vão neste locais, o que deixa-me cada vez mais preocupado”, disse Paulo Matias, morador do distrito da Maianga.

João Manuel e Paulo Matias afirmam ainda que a venda de drogas em muitas casas nocturnas, tem sido uma realidade. Ambos reconhecem que acções do género são sempre feitas de forma discreta, para não despertar atenção da Polícia.

Alguns responsáveis de muitas casas nocturnas, criam-nas para camuflar seus actos, porque por detrás há outras acções ilícitas, como a prostituição e tráfico de drogas”, revelou António Manuel, que apela esforço redobrado das autoridades para resolver o problema.

Diante desta situação, os interlocutores apelam aos moradores dos vários bairros a não se calarem e aos proprietários de tais casas, aceitarem as medidas impostas pelas autoridades, para o bem colectivo.

Ainda no âmbito da poluição sonora, recentemente o Governo Provincial de Luanda, proibiu a realização de eventos culturais e recreativos, bailes, festas e actividades religiosas em zonas residenciais, locais públicos e abertos.

De acordo ao Governo Provincial a medida em questão, visa minimizar a poluição sonora na capital do país, por estar a trazer inúmeros constrangimentos aos habitantes.

Para o Governo Provincial, actividades em questão, terão lugar somente quando haver condições técnicas e de segurança, mas com previa autorização.

Doravante, as únicas entidades vocacionadas para a emissão de licenças para realização de festas, em Luanda, são o Governo Provincial e as administrações municipais.

O Governo Provincial de Luanda apela a colaboração dos cidadãos, em denunciar todos os actos de poluição sonora.

Comentários do Facebook

Leave a reply